MENU (L)

SACA LÁ - ProfJam 「LETRA」

Vivo a vida numa bina
Só oiço os outros a dizer: "Saca lá"
Mete-te numa roda e saca lá
Mas no meu mundo, normalmente

#lyrics #sanderlei #TikTok #REMIX


SACA LÁ 「LETRA」 - ProfJam

Vivo a vida numa bina
Só oiço os outros a dizer: "Saca lá"
Mete-te numa roda e saca lá
Mas no meu mundo, normalmente
O que usa mais a garganta no fundo, é o que sai calado
Aqui o que mais fala, é o mais calado
É que aqui a fé move montanhas
A gente diz p'a elas "Baby, vai mais p'a lá"
Vai só um centímetro mais p'ó lado

O que antes achava céu, hoje eu acho mais palato
Vivo na boca de Deus, hoje sou mais palavras
É que eu acho que este corpo, este lado escarlate


Faz tanto parte do escritor como a esferográfica
Eu sou a palavra, a palavra, a palavra, a palavra, a palavra
Não se toca mas sente-se como uma sentence
E quando eu posso, gravo
Eu sei que este corpo foi emprestado, qualquer dia é uma ossada
Mas este texto é o meu corpo pa' sempre
Me'mo com o disco na sucata
Então saca lá, saca lá, saca lá
Faz um backup p'a ti, descarrega isso, tu saca lá
A gente tem um cofre dentro de nós
Ele é metafísico, não é biológico
Por isso ninguém pode levá-lo p'a longe
Mas se 'to quiserem roubar, tu só dizes: "Saca lá, saca lá, saca lá"
Aqui nem 40 ladrões, diz ao Ali bye-bye


Saca lá, saca lá, saca lá, saca lá
Não dou a ninguém o meu código, e só a God é que digo a passe
Quando eu vou Santo com o som
A canção consome-te o assunto do guito
Acho que começou quando soube
Que o que sobe é que solta a soul do sin
A minha onda é doida, sinusoide vem do cimo do sino
E hoje a sombra não assombra aquele que tem luz de tecido
Quando eu troquei de alfaiate, ele fez-me um bom kit
Mas disse que a passadeira não era p'ra onde ir
É que as câmaras daqui não lhe tiram pic
Mas os que voarem com isto vestido nunca terão pique
(Ok) Então 'tou com um pulmão, eles 'tão com bronquite
Eu trago o rap mais doente, o deles 'tá com gripe


Eu tenho o jogo na mão, eles 'tão com suor no grip
Parece que o grilo deles só faz *gri-gri-gri*
Foi à noite que eu vi que o preto brilha
Uns queriam que eu rapasse o me'mo com 30
Disseram: "Desperdício de talento", "Paim, Mário"
Eu acho que eles não perceberam que eu sou um brinca-na-areia
Eu acho que eles confundiram o meu ser com a caveira
E quanto à areia, claro que não sou o único a brincar com isso
A diferença é que eles brincam no parque e eu brinco c'a movediça
Trago a luz tipo Pixar, todos viram como eu fui acusado
E ainda abri uma fila só p'a quem veio gozar
Hoje em dia essa fila tem muita pouca gente lá
É irónico não atingirem que quando me atingem, é só o meu espantalho
Bro, sai daí, não achas estranho que nesse jogo tu 'tás sempre a ganhar?


E que o prémio são sempre mais merdas p'a atirar?
E quem te aplaude também ganha sempre o campeonato?
É que enquanto tu ganhas esses jogo
Perdes outro que o teu ego 'tá a ganhar
Broda, caga nisso, vem comigo jogar um mais árduo
Este é me'mo fodido, muito poucos o ganharam
O objetivo deste jogo veio de um mundo à parte
Ganha todo o que vir no inimigo uma forma de amá-lo
Depois uma forma de amar-se
O que é fodido neste caminho é um gajo ficar car sick
Aqui fazer batota é como um gajo beber dum bar seco
Este jogo troca-te as voltas, ficas como um morcego
Mano, neste jogo, é cada um por si
Mas quando ganhas este jogo, ganhas o amor cego, o amor cego


O amor com a vista mais longe, o amor cego