MENU

Mein Kampf (Minha Luta) 「PDF」 - Adolf Hitler

PDF Download - Mein Kampf (Minha Luta) - Adolf Hitler

Mein Kampf é o título do livro de dois volumes de autoria de Adolf Hitler, no qual ele expressou suas ideias anti-semitas,
racialistas e nacional-socialistas então adotadas pelo partido nazista.



TOP 1 Brasil



Mein Kampf (Minha Luta) 「PDF」 - Adolf Hitler

PDF Download - Mein Kampf (Minha Luta) - Adolf Hitler

Mein Kampf é o título do livro de dois volumes de autoria de Adolf Hitler, no qual ele expressou suas ideias anti-semitas,
racialistas e nacional-socialistas então adotadas pelo partido nazista.

O primeiro volume foi escrito na prisão e editado em 1925, o segundo foi escrito por Hitler fora da prisão e editado em 1926. Mein Kampf tornou-se um guia ideológico e de ação para os nazistas, e ainda hoje influencia os neonazistas, sendo chamado por alguns de “Bíblia Nazista”.

É importante ressaltar que as ideias propostas em Mein Kampf não surgiram com Hitler, mas são oriundas de teorias e argumentos então correntes na Europa. Na Alemanha nazista, era uma exigência não oficial possuir o livro. Era comum presentear o livro a crianças recém-nascidas, ou como presente de casamento. Todos os estudantes o recebiam na sua formatura.

Descrição do livro



Mein Kampf é o título do livro de dois volumes de autoria de Adolf Hitler, no qual ele expressou suas ideias anti-semitas, racialistas e nacional-socialistas então adotadas pelo partido nazista. O primeiro volume foi escrito na prisão e editado em 1925, o segundo foi escrito por Hitler fora da prisão e editado em 1926. Mein Kampf tornou-se um guia ideológico e de ação para os nazistas, e ainda hoje influencia os neonazistas, sendo chamado por alguns de “Bíblia Nazista”.
É importante ressaltar que as ideias propostas em Mein Kampf não surgiram com Hitler, mas são oriundas de teorias e argumentos então correntes na Europa. Na Alemanha nazista, era uma exigência não oficial possuir o livro. Era comum presentear o livro a crianças recém-nascidas, ou como presente de casamento. Todos os estudantes o recebiam na sua formatura.



O conteúdo deste site é para fins educacionais. Rejeitamos qualquer forma de ódio ou violência.

Baixar, Livro, eBook, PDF, ePub, mobi, Ler Online



mein kampf
mein kampf pdf
minha luta pdf
livro de Hitler
mein kampf pdf português
mein kampf download
mein kampf em portugues
mein kampf portugues pdf


livro do Hitler
livro de adolf hitler

Hitler publica o manifesto Mein Kampf - História

Sete meses depois de ter sido libertado da prisão de Landsberg, o líder nazista Adolf Hitler publicava o primeiro volume de seu manifesto pessoal, Mein Kampf (Minha Luta). Ditada por Hitler durante a sua estada de nove meses na prisão, o livro foi uma narrativa amarga e recheada de desabafos antissemitas, o desprezo pela moralidade, o culto do poder e os planos nazistas de dominação do mundo. A obra autobiográfica logo se tornou a bíblia do Partido Nazista da Alemanha. No início de 1920, as fileiras do partido lotaram de alemães ressentidos, que eram contrários ao governo da época, à política de esquerda e semeavam ódio a outros povos, como os judeus.

Em novembro de 1923, depois que o governo alemão retomou o pagamento das reparações da Primeira Guerra à Grã-Bretanha e França, os nazistas lançaram a "Beer Hall Putsch" - primeira tentativa de tomar o governo alemão pela força. Hitler esperava que sua revolução nacionalista na Baviera se espalhasse pelo exército alemão insatisfeito que, por sua vez, iria derrubar o governo em Berlim. No entanto, a revolta foi imediatamente reprimida, e Hitler foi preso e condenado a cinco anos de prisão por alta traição.

Enviado para a prisão de Landsberg, ele passava o tempo ditando sua autobiografia, Mein Kampf, e trabalhando em suas habilidades de oratória. Depois de nove meses de prisão, seus partidários do Partido Nazista fizeram pressão e conseguiram a sua libertação. Durante os próximos anos, Hitler e outros líderes nazistas reorganizaram o partido como um movimento de massa fanática que obteve maioria no parlamento alemão - o Reichstag. Por meios legais, em 1932, no mesmo ano, o presidente Paul von Hindenburg derrotou Hitler em uma candidatura presidencial. Em janeiro de 1933, von Hindenburg nomeou Hitler chanceler na esperança de que o poderoso líder nazista pudesse ficar à sua sombra, como um membro do gabinete do presidente.

No entanto, Hindenburg subestimou a audácia política de Hitler, e um dos primeiros atos do novo chanceler foi usar o episódio do incêndio do edifício do Reichstag como pretexto para convocar eleições gerais. A polícia nazista de Hermann Goering reprimiu boa parte da oposição ao partido antes da eleição, e os nazistas conquistaram a maioria. Pouco depois, Hitler assumiu o poder absoluto através dos atos políticos. Em 1934, Hindenburg morreu, e os últimos remanescentes do governo democrático da Alemanha saíram do caminho, deixando Hitler livre para conduzir a nação para uma nova guerra e suas terríveis consequências.

O Livro de Adolf Hitler, Mein Kampf – A Bíblia Nazista




Embora seja considerado “escrito” por Hitler, Mein Kampf não é um livro no sentido comum. Hitler jamais sentou a frente de uma máquina de escrever ou escreveu manualmente alguma das páginas. Na verdade Adolf Hitler começou ditando o livro para Emil Maurice enquanto estava preso em Landsberg, e após 1924 passou a ditar para Rudolf Hess enquanto estava preso entre 1923-24 e concluiu numa pousada em Berchtesgaden.

Ler Mein Kampf é como ouvir Hitler falar demoradamente sobre a sua juventude, sobre o início do partido nazista, planos futuros para a Alemanha, e ideias sobre política e raça.

O título original que Hitler escolheu foi “Viereinhalb Jahre [des Kampfes] gegen Lüge, Dummheit und Feigheit” – “Quatro anos e meio de luta contra mentiras, estupidez e covardia” -, porém Max Amann, o encarregado das publicações nazistas, decidiu que o título era muito complicado e o abreviou para Mein Kampf – Minha Luta. “

O primeiro volume, intitulado Eine Abrechnung, é essencialmente autobiográfico e foi publicado em 18 de Julho de 1925; já o segundo volume, Die Nationalsozialistische Bewegung (O movimento nacional-socialista), é mais preocupado em expressar a doutrina nazista e foi publicado em 1926.

Em seu livro, Adolf Hitler divide os seres humanos em categorias com base na aparência física, estabelecendo ordens superiores e inferiores, ou tipos de seres humanos. No topo da qualificação, de acordo com Hitler, está o homem germânico com sua pele clara, cabelos loiros e olhos azuis. Hitler refere-se a este tipo de pessoa como um ariano. Ele afirma que o ariano é a forma suprema da raça humana, ou mestre.

E assim segue-se no pensamento de Hitler, se houver uma forma suprema do ser humano, então deve haver outros menos supremos, o Untermenschen, ou racialmente inferior. Hitler atribui essa posição para os judeus e os povos eslavos, nomeadamente os tchecos, poloneses e russos.

Em Mein Kampf, Hitler afirma: “… ela (a filosofia nazista) de modo algum acredita em uma igualdade de raças, mas junto com sua diferença, reconhece o seu valor maior ou menor e sente-se obrigado a promover a vitória do melhor e mais forte, e exigir a subordinação do inferior e mais fraco de acordo com a vontade eterna que domina esse universo. “



Hitler, em seguida, afirma o ariano é também culturalmente superior.

“Toda a cultura humana, todos os resultados de arte, ciência e tecnologia que vemos diante de nós hoje, são quase exclusivamente o produto criativo da ariana…”

Hitler ainda afirma que os povos inferiores devem se beneficiar por serem conquistados, pois assim entram em contato e aprendem com os arianos superiores. No entanto, ele acrescenta que tal benefício existe apenas enquanto o ariano for o senhor absoluto e não se misturar ou miscigenar com os povos inferiores conquistados.

Mas é contra os judeus que Hitler tem mais aversão, e demonstram isso afirmando que eles estão envolvidos numa conspiração para impedir que a raça superior assuma sua posição de direito como os governantes do mundo, por manchar a sua pureza racial e cultural e até mesmo inventar formas de governo em que o ariano acredite na igualdade e não reconhece sua superioridade racial.

Hitler descreve a luta pela dominação do mundo como uma batalha racial, cultural e político entre arianos e judeus. Ele descreve seus pensamentos em detalhes, acusando os judeus de conduzir uma conspiração internacional para controlar as finanças do mundo, controlando a imprensa, inventar a democracia liberal, bem como o marxismo, a promoção da prostituição e vício, e usar a cultura para espalhar a desarmonia.

Ao longo de Mein Kampf, Hitler se refere aos judeus como parasitas, mentirosos, sujo, astuto, manhoso, astuto, inteligente, sem qualquer verdadeira cultura, um parasita, um intermediário, um verme, sugadores de sangue eterno, repulsivo, sem escrúpulos, monstros, ameaça, estrangeiros, sanguinários, avarentos, o destruidor da humanidade ariana, e o inimigo mortal da humanidade ariana…

Essa ideia de conspiração e da noção de “competição” para dominar o mundo entre judeus e arianos se tornaria crença generalizada na Alemanha nazista e ensinada às crianças nas escolas.



Isto, combinado com a atitude racial de Hitler contra os judeus, seria compartilhada em diferentes graus por milhões de alemães e pessoas de países ocupados, que permaneceram em silêncio ou participaram ativamente no esforço nazista de exterminar toda a população judaica da Europa.

Mein Kampf também fornece uma explicação para as conquistas militares mais tarde por Hitler e os alemães. Hitler afirma que, os arianos são a raça superior e por isso têm direito de adquirir mais terra para si. Este Lebensraum, ou espaço de vida, será adquirido pela força, e estas incluem as terras a leste da Alemanha, ou seja, a Rússia. A terra seria usada para cultivar alimentos e para fornecer espaço para a população ariana em expansão à custa dos povos eslavos, que estavam a sendo removidos, eliminados ou escravizados.

Mas para conseguir isso, a Alemanha terá que derrotar seu velho inimigo, a França, e vingar a derrota alemã da Primeira Guerra Mundial, assim como para proteger a fronteira ocidental. Hitler relembra amargamente o fim da Primeira Guerra Mundial, dizendo que ao exército alemão foi negado a sua chance de vitória no campo de batalha por traição política. No segundo volume de Mein Kampf, ele atribui maior parte da culpa aos conspiradores judeus.

mein-kampfMein Kampf quando foi lançado em 1925 teve venda inexpressiva. Até mesmo seu editor se decepcionou com o conteúdo do livro, pois esperava uma história autobiográfica detalhada e com ênfase no Putsch da Cervejaria, porém Hitler não entrou em detalhes sobre sua vida pessoal e não escreveu nada sobre o Putsch. Além de que as centenas de páginas eram de difícil compreensão e seus eram parágrafos vagos, compostos por um homem autodidata. Houve a necessidade de editar e reeditar antes de ser impresso.

No entanto, após Hitler se tornar chanceler da Alemanha, milhões de cópias foram vendidas. Cada alemão procurava adquirir sua cópia. Era comum presentear o livro a crianças recém-nascidas, ou como presente de casamento. Todos os estudantes o recebiam na sua formatura.

Porém todas as revelações sobre a natureza de seu caráter e seu plano para o futuro da Alemanha serviu como um aviso para o mundo. Um aviso que foi ignorado na maior parte.

Ainda hoje influencia pessoas, sendo considerado como a Bíblia Nazista pelos Neo-nazistas.



Os extratos de conta dos direitos autorais da Eher Verlag – a editora nazista – apreendidas pelos Aliados em 1945, mostrava que:

Em 1925, ano de seu lançamento, Mein Kampf (custando 12 marcos cada volume) vendeu 9473 exemplares, a partir de então as vendas caíram gradativamente. Em 1926 vendeu 6913; Em 1927 vendeu 5607; e Em 1928 vendeu somente 3015. Com as vitórias nas eleições pelos nazistas, a partir de 1929 as vendas cresceram, alcançando 7669 naquele ano, e saltando para 54086 em 1930, ano em que surgiu uma edição popular de 8 marcos. Em 1931, 50808 exemplares foram vendidos, e 90351 em 1932. Em 1933 quando Hitler se tornou chanceler, as vendas saltaram para um milhão de exemplares. Em 1940, 6 milhões de exemplares do Mein Kampf foram vendidos.

O Partido nazista afirmou que o livro antes disso já era um grande vendedor. Hitler possuía rendimento de 10% dos direitos autorais sobre o livro (sua principal fonte de renda a partir de 1925), 15% a partir de 1933, quando o rendimento da venda do livro superou um milhão de marcos.

SOBRE O LIVRO - SINOPSE



Ditado ao seu fiel secretário Rudolf Hess em 1923, na prisão de Landsberg - onde cumpria uma pena de cinco anos depois do golpe falhado em Munique - A Minha Luta é, de certa forma, o manifesto do nacional-socialismo tal como Hitler o entendia. Apesar do seu estilo errático e por vezes alucinado, a obra contém a sua visão programática para a sociedade alemã - com alusões pouco veladas de eugenismo e uma ênfase obsessiva na questão racial, por exemplo, mas também sobre o papel da mulher alemã ou dos sindicatos -, para uma nova política externa (a referência constante à necessidade de espaço vital, mas também à política de alianças a levar a cabo) e, ainda, premonitoriamente, sobre os judeus.
No fundo, 10 anos antes de chegar ao poder, o que viria a ser a política interna e externa do III Reich levada a cabo por Hitler já estava plasmada em livro. Embora algumas das suas ideias, em termos de geopolíticos, reflictam os medos e anseios dos Alemães, fruto da sua posição geográfica no continente europeu - a eterna obsessão com as alianças que pudessem contrariar o «cerco», o aperto entre a França e a Rússia, agora pela mão do bolchevismo - noutros aspectos o texto é mais perturbador, em especial na questão do eugenismo, no futuro dos povos de Leste e, essencialmente, o destino a dar aos judeus.

Adolf Hitler


Adolf Hitler (Braunau am Inn, 20 de abril de 1889 – Berlim, 30 de abril de 1945), foi um político alemão que serviu como líder do Partido Nazista (Nationalsozialistische Deutsche Arbeiterpartei; NSDAP), Chanceler do Reich (de 1933 a 1945) e Führer ("líder") da Alemanha Nazista de 1934 até 1945. Como ditador do Reich Alemão, ele foi o principal instigador da Segunda Guerra Mundial na Europa e figura central do Holocausto.


Mein Kampf (Minha Luta) 「PDF」 - Adolf Hitler


Livro em PDF para Download - Domínio Público